Escova dura limpa melhor?

Escova dura limpa melhor?

MENTIRA.

 

Você já deve até estar com o discurso pronto: quando higieniza os dentes com outro tipo de escova não sente limpar. Além de machucar a gengiva por causa do atrito, as cerdas nada macias – junto à força empregada- representam riscos ao esmalte e aumentam a sensibilidade dos dentes.

 

Tamanho da escova

Pode parecer que uma escova maior será capaz de limpar uma superfície maior e gerar um resultado mais satisfatório, mas, na verdade, as escovas com cabeça pequena é que são as mais recomendadas, até mesmo aquelas infantis. Isso acontece porque quando a escova tem uma cabeça pequena ela consegue atingir melhor os dentes molares, aqueles que ficam lá no fundo da boca, contribuindo para uma limpeza adequada.

 

Cabeça flexível

Escovas com cabeças flexíveis propiciam uma limpeza mais eficaz dos dentes posicionados no fundo da boca e que, consequentemente, são mais difíceis de limpar, como os molares e aqueles com os lados voltados para a língua.

 

Quando trocar a escova?

As cerdas da escova vão se desgastando com o tempo, mas muita gente esquece desse detalhe na hora da escovação. O ideal é que as escovas sejam trocadas sempre que estão mostrando sinais de desgaste, como cerdas desalinhadas, ou em no máximo três meses. A mesma regra vale para as escovas elétricas — nesse caso, deve-se trocar as cerdas por um refil da mesma marca.

No final das contas, a simplicidade pode ser o fator mais importante, então nada de se estressar com todas essas propagandas de escovas de dentes cheia de apetrechos e detalhes. Uma boa escova, pequena, com cerdas macias e homogêneas é capaz de gerar ótimos resultados se você souber como usá-la.

Viu que para escolher escova de dentes não tem segredo? Qual você costuma escolher para ter um belo sorriso? Deixe seu comentário, e compartilhe com seus amigos.

 

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado.